CFirmino por Messenger

Como cuidar bem dos pneus: 6 dicas essenciais


Como cuidar bem dos pneus: 6 dicas essenciais

Preservar os pneus do automóvel é essencial para viagens seguras. Existem simples gestos que fazem a diferença. Saiba como cuidar bem dos pneus.
 

1. MONITORIZAR A PRESSÃO

A pressão abaixo dos valores indicados pelo fabricante contribui para o aumento do consumo de combustível e influencia o comportamento e segurança do automóvel, uma vez que os pneus “dobram” mais que o suposto. Isto provoca maior desgaste do pneu. Da mesma forma, pneus com pressão acima do indicado estão sujeitos a desgaste irregular e têm menor aderência (o pneu inflado afasta a bando de rolamento do solo).

Uma correta pressão dos pneus melhora a segurança na condução e a durabilidade do pneu, dica essencial sobre como cuidar bem dos pneus. A pressão dos pneus deve ser verificada, no mínimo, uma vez por mês e com os pneus a frio ou quando se tenha circulado a baixas velocidades e até cerca de 4 quilómetros.
 

2. AVALIAR O DESGASTE

A forma mais fidedigna de avaliar a profundidade dos sulcos do pneu é com um profundímetro. Depois de estacionar o carro numa superfície plana, rode a direção cerca de 45º para um dos lados para que possa ver bem a superfície do pneumático. A medição deve ser realizada em três pontos (exterior, centro e interior) e em várias zonas do pneu para que se perceba se o piso está uniforme.

O valor mínimo imposto por lei é 1,6 mm. Se estiver abaixo, está na altura de trocar de pneus (se pondera pneus em segunda mão, saiba se compensa comprar pneus usados). Os fabricantes de pneus colocam marcas ou indicadores no piso dos pneus. Mesmo que não tenha um profundímetro, esse indicador serve de guia. Se já estiver ao nível do piso do pneu, está na hora de trocar.
 

4. VERIFICAR O ALINHAMENTO

Alinhar as rodas é fundamental para uma boa manutenção dos pneus e passa por manter o paralelismo entre os eixos e as rodas. Nesta operação, vulgarmente conhecida como alinhar a direção, verificam-se os valores de convergência (fecho) e divergência (abertura) indicados pelo fabricante. Para perceber se existem diferenças, deve passar a mão na superfície de rodagem, do exterior para o interior do pneu e vice-versa.

Se houver algum tipo de irregularidade de dentro para fora, significa que os ângulos (neste caso, de convergência) poderão não estar corretos. Esta verificação pode ser feita em qualquer altura. De qualquer das formas, a correção é feita em casas de pneus, com equipamento adequado e técnicos com formação e experiência.
 

5. CONTROLAR A CARGA

Os meses de verão são mais propícios a viagens em família e, portanto, mais peso no automóvel, quer pelo número de ocupantes, quer pela bagagem adicional. É de todo conveniente adequar a pressão conforme as indicações do fabricante e respeitando os valores de carga máxima indicados na lateral do pneu.

6. PREVENIR E CONTROLAR SITUAÇÕES NA CONDUÇÃO

Se pensarmos que os pneus são o único ponto de contacto da viatura com o piso, como cuidar bem dos pneus é uma exigência. Além das verificações técnicas, o uso que se dá constantemente aos pneus também é de extrema importância. As viagens a velocidades elevadas em autoestrada são responsáveis pelo aumento da temperatura dos pneumáticos. Este fator é influenciado ainda por outros parâmetros como peso do veículo, distância percorrida e temperatura ambiente, por exemplo.

Buracos, pedras ou lombas são outros inimigos dos pneus. Para maior segurança da viatura e durabilidade dos pneumáticos, deve abordar-se este tipo de pisos e obstáculos com atenção e cuidado, reduzindo a velocidade. Não só em viagens maiores como em todas, os pneus são confrontados com dificuldades, como nos conhecidos casos de tampas de esgoto ou estacionamento em zonas ao nível do passeio. Se pretende estacionar em locais em que tem que subir um obstáculo do género, é conveniente colocar a roda a cerca de 45º relativamente ao local e subir o mais devagar possível. Deve deixar a roda o mais apoiada possível no solo e não apenas numa quina ou curva do passeio, exercendo imensa pressão na superfície do pneu, correndo o risco de o danificar.

Contacte-nos

(*) Campos obrigatórios.